terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O Som ao Redor

No ano passado "O Som ao Redor" foi um dos melhores filmes do ano, segundo os críticos de cinema de Belém. Isso levou minha curiosidade em assistir o filme.
Contudo, esperava mais do filme, principalmente por ter o ruído um personagem constante no filme. No entanto, o filme busca um roteiro completamente diferente do que pensava. O ruído, continua enquanto personagem, mas bem mais diferente.
A vida dos moradores de uma rua de classe média do Recife se altera quando uma milícia privada oferece segurança para aqueles moradores, mas principalmente paz d espírito. Alguns se setem aliviados, outros temem porque tem algo a esconder. Nesse pequeno microscópio da sociedade há de tudo um pouco, uma dona de casa incomodada pelos latidos de cachorro da vizinha, o pequeno traficante de drogas, o garoto mimado e playboy que realiza pequenos furtos e um velho "coronel" que manda em todos e tudo pode.
Aquela realidade de uma classe média emburrecida que se droga pelo álcool e pela maconha, vive de aparências e acha que o dinheiro da família - geralmente obtido ilicitamente - é infinito parece muito a classe média de Belém. 
O filme em sim não apresenta nenhuma novidade, seu enredo não é original, e o final nem surpreende. Mas em fim, porque foi aclamado pela crítica. Penso e só chego numa resposta possível, acho que identificamos parte da sociedade de Belém e do Pará.
 

Nenhum comentário: