quinta-feira, 30 de maio de 2013

Tecnomelody é patrimônio artístico e cultural



Edição de 31/05/2013
Tamanho do Texto
Um ritmo emergente das periferias de Belém, o tecnomelody, foi reconhecido como patrimônio imaterial artístico e cultural do Pará. O governador do Estado, Simão Jatene, sancionou a Lei 7.708, aprovada por unanimidade na sessão do dia 10 de abril na Assembleia Legislativa do Pará. Artistas comemoram: "Creio que a lei veio na hora certa e fico muito feliz com a decisão positiva. Agora temos mais respaldo para conseguir benefícios para o movimento, tanto do governo quanto de empresas privadas. Ajuda na hora de exportar, nos projetos de lei de incentivo e na relação do movimento com o próprio povo do Pará, que se orgulha dessa iniciativa. O paraense é muito de valorizar a nossa cultura e isso alimenta a autoestima. Grande vitória!", disse Gaby Amarantos, um dos expoentes do ritmo.
Para Nilson Chaves, presidente da Fundação Cultural Tancredo Neves, outros ritmos podem ser beneficiados: "É muito positiva a atitude de reconhecer um estilo desenvolvido aqui. Acredito que devemos estender isso também a outros ritmos amazônicos, que também são importantes como o tecnomelody, e que talvez tenham uma vida mais longa, a exemplo da Marujada de Bragança e do siriá, retumbão e lundu", diz.

Nenhum comentário: