quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

A Dama de Ferro

Já escrevi algumas vezes aqui no Blog que o cinema é um dos meus maiores divertimentos. A indicação da semana é "A Dama de Ferro", estralado por Meryl Streep, que como sempre está maravilhosa e é ganhadora quase certa do Oscar deste ano.
Fora a interpretação de Meryl Streep como a ex primeira ministra da Grã Bretanha Margaret Thatcher, o filme em si é razoável, e tenta mostrar a fase de uma mulher fascinado pelo poder e quebra barreiras num mundo até então dominado por homens, que de alguma maneira ainda via a mulher como um ser desvalorizado.
Para mim um dos grandes pecados do filme é retratar somente Margaret Thatcher como uma mulher extraordinária e complexa, que na velhice é atormentada pelo seu passado. Mas do que ambiciosa e obstinada pelo poder, a líder do partido conservador é controvertida, que usava eventos externos, como a guerra das malvinhas, para desviar a atenção para os problemas internos de seu país, como greves por baixos salários e desemprego. No filme, o retrato da vida política da Grã Bretanha é acelerado, o que não promove a devida reflexão pelo espectador que se concentra exclusivamente na humanização de uma líder em muito controvertida, mas que não posso negar marcou a história ocidental no século XX. 
Parece que estou crítico de mais para um filme que se propõe em ser biográfico, pode até ser, mas achei uma narrativa acelerada demais neste propósito, contudo é um filme que merece ser visto e é um bom divertimento, nem que isso seja fruto exclusivo pelo talento de Meryl Streep. 

Nenhum comentário: