segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Crime Eleitoral

No último domingo realizou-se o segundo turno das eleições e mais uma vez o que observei em Belém foi crime eleitoral, observação está colaborada com a cobertura jornalística do dia posterior, que em flagrante  testemunhou outros atos ilícitos. Como definição, crime eleitoral vem a ser, uma atitude anti-social lesiva ao regramento jurídico na tentativa de interferir no processo eleitoral do alistamento eleitoral a diplomação dos candidatos, podendo ser praticada por candidatos e eleitores. 

O que observei mais de perto foi aglomeração de pessoas distribuindo material de campanha de determinado candidato, uso de alto-falante, fogos de artifício (em flagrante desrespeito ao direito alheiro) e venda de bebidas alcoólicas (bem em frente a minha secção eleitoral, com conivência da polícia militar, pena que não pude anotar a placa do veículo). Pelos jornais observei distribuição de combustível em troca de votos e o mais grave, a denúncia, que tal prática era praticada por uma secretária adjunto de governo, e que se for comprovada na justiça é um ato gravíssimo. 

Daqui a dois anos teremos eleições municipais e novos flagrantes aconteceram que espero que sejam devidamente punidos. Apesar dos atos ilícitos observados é digno de elogios o trabalho do Ministério Público Federal nessas eleições, com destaque do procurador eleitoral Daniel Azeredo.  

Nenhum comentário: